PASSO-A-PASSO DE UMA INSTALAÇÃO ELÉTRICA

Felipe Basile

Minoria das pessoas sabem qual a importância de uma instalação elétrica em seus estabelecimentos. Ela é inquestionável para iluminar nossos lares, movimentar nossos eletrodomésticos e aquecer nossos banhos. 

E com a instalação mal-empregada, traz perigos como choques e até curtos-circuitos, causadores de tantos incêndios. Neste texto irei explicar um pouco de como aplicar uma instalação elétrica em sua residência.

Dimensionamento de área e perímetro dos ambientes:

Para começarmos, iremos dividir os ambientes da residência e colocar em uma tabela, com a área e o perímetro calculado. Assim, para calcularmos a potência da iluminação, usaremos a área calculada do ambiente, a cada 6 m² de área é igual a 100VA e a cada 4 m² de área é igual a 60VA de potência de iluminação.

Por exemplo: Se tivermos um ambiente de 11 m², iremos dividir em 6 m² + 4 m² + 1 m², assim obteremos 160VA de potência de iluminação, e o 1 m² seria anulado pois é abaixo de 4 m². Este levantamento são recomendações da NBR 5410:2004 para instalação elétrica.

Agora, usaremos o perímetro para dimensionar a quantidade de tomada mínima necessária para cada ambiente. Para cômodos com área igual ou inferior a 6 m² aplicar no mínimo um ponto de tomada. Cozinhas, copas, área de serviço, lavanderias e locais semelhantes aplicar um ponto de tomada a cada 3,5 m². Varandas pelo o menos um ponto de tomada e banheiros também um ponto de tomada com distância mínima de 60cm do limite do boxe.

Para a instalação de tomadas, existem dois tipos de tomadas a serem instaladas nos ambientes, Pontos de Tomadas de Uso Geral (PTUG’s) e Pontos de Tomadas de Uso Específicos (PTUE’s). Os PTUG’s são tomadas que não se destinam à ligação de equipamentos específicos que são ligados aparelhos móveis ou portáteis e atribuímos no mínimo 600VA em cozinhas, banheiros áreas de serviço por ponto e para demais cômodos 100VA por ponto. Já os PTUE’s são para aparelhos fixos, como geladeiras, máquinas de lavar e estabelecemos a quantidade de acordo com o número de aparelhos de utilização no ambiente, e usamos a potência nominal do equipamento a ser alimentado. Segue o exemplo da tabela do dimensionamento:

(Tabelas de dimensionamento de iluminação, PTUG’s e PTUE’s nos ambientes)

 

Levantamento de Potência Total:

Para seguirmos com uma instalação elétrica segura, iremos somar as potências de cada levantamento, obtendo: Potência Aparente de Iluminação = 1080W, Potência Aparente de PTUG’s = 5520W e Potência Ativa de PTUE’s = 12100W, totalizando 18700W. Através da potência total prevista irá determinar o tipo de fornecimento.

Até 12000W o fornecimento será do tipo monofásico, feito com dois fios: uma fase e um neutro e tensão de 127. Acima de 12000W até 25000W o fornecimento será do tipo bifásico, feito com três fios: duas fases e um neutro e tensão de 127V e 220V. Neste exemplo acima com a potência ativa total foi de 18700W, o fornecimento será bifásico para esta instalação elétrica.

 

Circuito de Distribuição:

Nesta fase da instalação elétrica, iremos dividir os circuitos que ligam no quadro de medidor. Para isso deveremos prever circuitos de iluminação separados dos circuitos de pontos de tomadas (PTUG’s), dimensionar circuitos independentes para equipamentos com corrente superior a 10A, por exemplo, equipamentos ligados em 127V com potência acima de 1270VA, devem ser separados para si só.

(Tabela dos circuitos distribuídos com critérios pela NBR5400:2004)

Com isso o projeto de instalação elétrica ainda leva uma planta baixa chamada de Diagrama unifilar, onde é uma demonstração de todos os circuitos que passam pela a residência, com suas devidas iluminações, e pontos de tomadas gerais e específicas.

(Diagrama Unifilar, a planta onde representa o sistema elétrico da casa)
Rolar para o topo