OS BENEFÍCIOS DO USO DE UMA IMPRESSORA 3D

Luiz Alberto Filho

As impressoras 3D estão revolucionando o mercado por estarem sendo muito bem utilizadas em diversos setores. As possibilidades de uso são inúmeras e podem muito ajudar a solucionar muitos problemas da sociedade e baratear muitos projetos em várias áreas, que vão de moda até medicina.

Na medicina, a impressão tem sido muito utilizada para fabricação de próteses para pacientes. Existe um caso em que 75% do crânio de um homem foi substituído por uma prótese em impressão 3D. 

Outra possibilidade é a criação de órgãos, como uma orelha biônica criada por cientistas da Universidade de Princeton. O modelo foi impresso utilizando células e cartilagem cultivadas artificialmente e pode captar sinais de rádio e sons acústicos.

No uso doméstico, esse recurso tem sido muito utilizado também. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Tecnologia de Michigan escolheu 20 itens de uso doméstico e pesquisou o seu preço médio para a aquisição destes no mercado. 

Então foi também calculado qual seria o valor médio para a produção desses itens por meio de uma impressora 3D e a comparação feita mostrou que enquanto a aquisição dos produtos poderia custar entre US$ 312 até US$ 1.944, a impressão 3D dos mesmos utensílios ficaria em torno de US$ 18

“No Brasil, o investimento em uma máquina dessas pode custar de R$ 4.000 até R$ 50.000 dependendo do tamanho máximo das peças produzidas”

Uma das áreas mais beneficiadas pela impressão 3D é a engenharia, podendo ser utilizada para produzir protótipos ou até mesmo produtos finais. 

Em um projeto de engenharia, geralmente são modelados em softwares diversos modelos e protótipos antes do produto ser finalizado, pois até o lançamento, diversos testes e estudos devem ser realizados. E para baratear, acelerar e facilitar a produção desses modelos, podemos utilizar a impressão 3D. 

Por exemplo, antes de um carro novo ser lançado no mercado, um dos testes a ser realizado é o seu comportamento em um túnel de vento para analisar sua performance aerodinâmica, então podem ser criados carros em escala reduzida para encontrar possíveis futuras falhas ou definir qual seria o melhor modelo entre as opções para produzir em larga escala no futuro.

São inúmeras as possibilidades e ainda estamos em processo de pesquisa para descobrir novos usos desse aparelho e continuar revolucionando. No Brasil, o investimento em uma máquina dessas pode custar de R$ 4.000 até R$ 50.000 dependendo do tamanho máximo das peças produzidas, sendo um valor barato no meio industrial, tornando seu uso ainda mais acessível e difundindo melhor seus usos no mercado.

Rolar para o topo