Finanças Empresariais: Como Controlar e se Planejar

Ana Júlia Secco e Maria Fernanda Alonso

material usado para controlar as finanças empresariais

Quando o assunto é finanças empresariais, como controlá-las e planejá-las, muitas pessoas se assustam. Entretanto, poucas sabem a importância  e a necessidade de se manter alinhado para começar ou manter um negócio.

Ter um controle financeiro e uma planilha nesse assunto é o primeiro passo para o sucesso. É necessário entender também a diferença entre os gastos pré e pós abertura de uma empresa, para assim adentrar no mercado da melhor maneira possível e permanecer em um fluxo constante.

Tais aspectos são relevantes para deixar o futuro gestor sempre alinhado com as finanças do seu negócio, ter noção da real situação financeira e dos recursos existentes e futuros. Além disso, é positivo por deixar a mostra um panorama de um possível desperdício e planejar futuras mudanças sem causar perdas. Dessa maneira as suas finanças empresariais estarão previstas de uma maneira segura e constante

Organização de finanças pré abertura de um empresa

Para abrir uma empresa não basta apenas ter uma ideia, é necessário planejar e realizar inúmeras feições legais e benéficas para o seu negócio. Para adentrar no mercado de maneira segura e como um bom concorrente o primeiro passo é listar todos os gastos pré empresariais.

Controlar e planejar as finanças empresariais pode ser sim uma tarefa fácil. Para dar identidade a sua empresa, semelhante a um CPF a um indivíduo, deve-se pensar no cadastro de um CNPJ. O registro no Cadastro Nacional possibilita infinitas ações para o controle de finanças, como emissão de notas fiscais, contratos elaborados e solicitações de máquinas de cartão com menores taxas.

Ademais, em busca de um controle de finanças empresariais elaborado é bom pensar estrategicamente em qual enquadramento tributário o negócio se encaixa, pois a partir de pontos específicos — como o faturamento anual do negócio ou o seu ramo de atuação —, é possível realizar o registro na categoria mais benéfica ao gestor, o que leva em menor valor de recolhimento, economias para um futuro próximo.

Seguindo ainda esse caminho surge o assunto e talvez a necessidade da ajuda de um contador para assegurar o controle das finanças empresariais, entretanto isso funciona a partir de uma demanda.

Além dos processos legais, no planejamento de controle no pré gastos empresariais muitos assuntos surgem no caminho do sucesso. É de suma importância que ocorra um planejamento mais detalhado possível de futuros gastos, entender suas metas a curto e a longo prazo e planos operacionais  para que se alcance todos os objetivos.

Tendo assim uma base concreta para tomada de decisões. Portanto é válido sempre ter em mente tal planejamento em toda a vida do negócio para que cresça de maneira saudável e exponencial 

Um passo essencial no início de uma empresa para fomentar o controle de finanças empresariais é realizar a precificação dos produtos/serviços com base em estudos do seu público alvo. Compreender, portanto, qual preço estão dispostos a pagar e o quanto de lucro é desejado, além disso, vai possibilitar que o gestor trace estratégias a partir de um planejamento seguro do faturamento.

 Seguindo essa lógica, ao precificar os materiais  o gestor consegue projetar o número de vendas que pode ser gerado em aproximadamente três anos, ajudando assim o desenvolvimento e crescimento da empresa.

  • Capital de Giro

Organização de finanças pós abertura de um empresa

É primordial ter todos esses estudos prévios à abertura de uma empresa, principalmente para ter noção de como podem ser os cenários futuros daquele empreendimento, porém após a empresa se estabelecer no mercado é de extrema urgência e necessidade controlar suas finanças empresariais. Para isso, separamos alguns passos de como manter a saúde financeira  de sua empresa estável:

 1- Fluxo de Caixa

Dê inícios, temos o fluxo de caixa, que é uma das melhores maneiras de saber como anda a vida financeira da sua empresa. Ele é basicamente o controle de todas as entradas e saídas de seu caixa. Nele é preciso constar todas as receitas e gastos especificando o que é cada uma, qual sua origem e seu destino, entre outros dados.

Para fazer essa organização das finanças empresariais é bem simples! O ideal é acompanhar diariamente as movimentações bancárias com o auxílio de plataformas, que serão exibidas a seguir e em todo fechamento do mês comparar o seu fluxo com o extrato bancário. Cada centavo é importante para um fechamento exato daquele período.

Para empresas de pequeno e médio porte é possível realizar a partir de planilhas no Excel. Nestas planilhas podem ser colocados itens como na foto abaixo:

ilustração de finanças empresariais

*Dados meramente ilustrativos

Pode-se ou fazer uma aba para despesas e uma para receitas, ou compilar tudo na mesma aba da planilha, adicionando assim uma coluna referente ao tipo de movimentação que foi exercida. Isso depende da realidade de cada empresa.

A ideia é sempre deixar as movimentações expostas de forma clara para que qualquer um que tenha acesso àquelas informações tenha ciência do que foi aquele gasto ou receita.

Para empresas maiores, é preferível utilizar softwares específicos de fluxo de caixa como, por exemplo, o “Meu Dinheiro Web” , que é um site gratuito, de fácil navegação e que auxilia muito no lançamento de pagamentos e receitas.

2- Demonstrativo de resultados do exercício (DRE)

Depois que as finanças empresariais já estão organizadas e mapeadas é hora de interpretar o que essas movimentações bancárias representam de fato.

Nesse caso pode-se analisar as transações referentes a um ano, um mês, quinze dias depende de qual opção faz mais sentido para o seu contexto.

Consegue-se fazer essa análise comparando o total de dinheiro que entrou e o total que saiu nesse determinado período escolhido.

Então entende-se se aquela amostra de tempo gerou um lucro ou prejuízo para a empresa. O DRE é um importante indicador de como andam as finanças porque ele mostra exatamente como está o balanço financeiro mensal com números claros.

 É também interessante analisar quais setores tiveram mais influência nos gastos e nos resultados para assim traçar estratégias futuras de como a empresa deve prosseguir, no que está valendo a pena investir e o que é necessário cessar o funcionamento.

3- Contas a pagar e contas a receber

Por fim, outro ponto ideal para uma boa saúde financeira é manter as contas a pagar e a receber sempre atualizadas. Essas contas se referem às futuras transações bancárias, ou seja, elas ainda não aconteceram, mas os funcionários sabem de sua existência, porque elas são movimentações planejadas com antecedência.

Normalmente as contas a receber são mais utilizadas em companhias que vendem serviços ou produtos parcelados, porque o montante total de dinheiro referente aquela prestação de serviços não foi debitada na conta ainda, então não entra no fluxo de caixa, mas precisa sempre estar à vista para que a empresa não perca controle do os clientes estão devendo ou não.

Enquanto as contas a receber são sobre receitas, as contas a pagar são relacionadas a gastos futuros que o empreendimento terá que arcar.

É de extrema importância a organização e acompanhamento dessas contas, porque juntando esses dados com a DRE é possível criar melhores estratégias futuras e ter tomadas de decisões mais efetivas, fazendo com que os erros cotidianos diminuam e a empresa cresça cada vez mais.

Quem somos

Empresa Júnior desde 2011 atuando no mercado profissional com qualidade e capacidade de realizar projetos com alta performance e atender as necessidades de nossos clientes.

Horário de funcionamento

Segunda a sexta
10:00 – 18:00

Telefone

(11) 97694-5672

Acompanhe-nos

Rolar para o topo
Mande uma mensagem!
1
Conte como podemos te ajudar!
Olá!
Fale com a EJEM pelo Whatsapp e faça seu orçamento agora!