COMO REALIZAR UM PROJETO EXECUTIVO

Juliano Karam

Muitos profissionais da área da construção civil como engenheiros, arquitetos, técnicos, etc. ao realizarem um projeto executivo de seu serviço sentem dificuldades para saber como realizá-lo e quais elementos devem conter. Sendo assim aqui estão algumas etapas e normas cruciais para que o tão sonhado projeto executivo seja feito de forma eficiente e com excelência.

Primeiramente vamos falar das duas principais normas que devem ser seguidas: A NBR-6492: Representação de projetos de arquitetura e a NBR-13531: Elaboração de projetos de edificações – Atividades técnicas.

Para realizar os desenhos do projeto executivo, a NBR-6492 descrimina como realizar alguns elementos gráficos como por exemplo plantas, cortes, vistas, detalhamentos, tabelas e até os tamanhos das letras e penas a serem seguidas durante os desenhos. Com esta norma, seu projeto executivo ficará com os padrões de seu desenho melhor, menos poluído e mais fácil de se entender.

Já a NBR-13531 determina mais especificamente quais elementos e documentos deve conter em seu projeto. De acordo com a norma: “[…] fixa as atividades técnicas de projeto de arquitetura e de engenharia exigíveis para a construção de edificações.” Esta norma é a base para seu projeto executivo, tendo a discriminação dos elementos que devem pertencer ao mesmo, dês dos itens mais básicos aos mais complexos.

Tendo estas duas normas bem estudadas para poder dar uma base ao início do projeto, vamos citar agora alguns itens que não devem faltar para que o projeto executivo saia com sucesso.

  • Estudo preliminar e programa de necessidades:

O estudo preliminar é o momento em que se deve coletar todos os dados referentes ao cliente, dados do imóvel, topografia do terreno, etc.

Já o programa de necessidades é o documento que se realiza para saber o que deve estar no projeto, no caso de clientes seria por exemplo o número de cômodos, acabamentos desejados, entre outras coisas, e no caso de construtoras seria o número de apartamentos desejados, quais áreas comuns, acabamentos do prédio. Ou seja, seria o estudo para dar o norte para o início do projeto para que durante sua produção, fique mais claro o que deve ser realizado e os itens necessários que devem conter.

  • Projeto executivo:

O projeto executivo deve ser o mais detalhado e menos confuso possível, devendo ter pelo menos as plantas da construção, os cortes e as vistas, além de desenhos complementares como por exemplo os detalhamentos de guarda-corpos e escadas. Porém no projeto deve conter além da parte arquitetônica e estrutural, os serviços complementares como a elétrica e a hidráulica.

Também deve-se criar documentos como memoriais descritivos, que servem para especificar os matérias que serão necessários para a construção (Ex.: Acabamentos, tipos de alvenaria, etc.).

  •  Projeto legal:

Esta etapa deve ser planejada dês de o início do estudo preliminar, pois é neste projeto que fazemos todos os desenhos e documentos que servirão para a aprovação do projeto na prefeitura. O ideal é realizar o estudo do zoneamento e do código de obras do município, pois aí será evitado comunicados de alteração do projeto ao dar entrada em seu processo, evitando também o que todo profissional mais teme: O retrabalho de algo que pode ter custado muito tempo para realizar.

            Finalizando então, podemos dizer que o projeto executivo de qualquer construção deve ser o mais detalhado e completo possível, desde seu estudo sobre o que será feito e as leis que devem ser seguidas, até a realização de todos os desenhos necessários que irão à obra.

Rolar para o topo