6 Dicas para reduzir custos de
ar-condicionado

Fabiana Satiko Ohi e Renan Gnecco Ferraz Monte

Ambiente sofisticado equipado com ar-condicionado

          Quando as temperaturas estão altas e o calor está extremo, muitas pessoas não deixam de pensar no uso do ar-condicionado. O que antes era visto somente em grandes estabelecimentos comerciais e escritórios, cada dia mais tem sido instalado em residências também. Mas o custo desse equipamento sempre foi motivo de preocupação.

  • Por que o ar-condicionado gasta tanta energia?

O ar-condicionado funciona de maneira muito semelhante à uma geladeira. Seu objetivo nada mais é do que a troca de temperatura do ambiente. Assim como a geladeira, o ar-condicionado também possui uma serpentina na qual o ar passa e, por contato, sofre queda ou aumento de temperatura. Consequentemente, o calor do ar sugado do ambiente interno pelo equipamento é absorvido, e o ar é resfriado.

Quando a temperatura desejada é alcançada, um sensor presente no ar-condicionado desliga o compressor, permitindo que a temperatura seja mantida. Quando há uma variação da temperatura, o compressor é novamente acionado, já que ele é o responsável pela circulação do gás ou líquido refrigerante pelo sistema. O “liga-desliga” do compressor causa picos de voltagem e consequentemente, um aumento de consumo de energia.

Agora que sabemos o porquê de tanto gasto, veja algumas dicas para economizar na hora de ter um ar-condicionado!

  • Pensar em escolher o tipo “Inverter”

            O ar-condicionado Inverter vem se tornando conhecido por gerar uma economia de até 60% quando comparado ao convencional. Isso se deve ao seu modo de funcionamento diferente dos demais.

            Com esse tipo de ar-condicionado, a temperatura tende a ser mais constante. Ao contrário do convencional, o compressor não “liga-desliga”. Ele funciona em rotação variável e contínua. Esse fato evita que picos de energia sejam gerados, e são justamente eles que consomem uma grande quantidade de eletricidade. Como o ar-condicionado Inverter não cria esses picos, ele é muito mais econômico.

  • Comprar equipamentos com o selo A e número certo de BTU’s

O Selo Procel está presente em todos os eletrodomésticos. Basicamente ele é uma etiqueta que mostra quais aparelhos são os mais econômicos a partir de sua eficiência energética. Sua classificação é feita pelas letras A, B, C, D e E. Sendo A a melhor classificação e E a pior, em relação a eficiência.

O que determina o consumo de energia do ar-condicionado é sua potência e tempo de utilização. Quanto pior sua classificação, maior “kwh/mês” é consumido pelo aparelho. E assim, maior é seu custo durante seu uso.

            Por sua vez, BTU, é a sigla para British Thermal Unit, que traduzindo para o português, significa Unidade Térmica Britânica. Na prática, quanto maior o número de BTU’s de um ar-condicionado, maior poderá ser o ambiente no qual ele será instalado.

            Desse modo, é necessário saber a quantidade ideal de BTU’s para o espaço a ser refrigerado. É importante ter certeza de que o ar-condicionado seja capaz de refrigerar o local de maneira eficiente. Entretanto, não é indicado que seja escolhido um modelo com a potência muito acima do necessário, já que isso provocaria um consumo de energia desnecessário.

Controle do ar-condicionado indicando 22°C
  • Evitar deixar no frio excessivo

Em dias quentes, a vontade de deixar o ambiente bem geladinho é grande, mas não é o recomendado. Quanto menor a temperatura programada, mais esforço tempo o ar-condicionado demora para atingir tal temperatura. O ideal é não deixar em temperaturas muito baixas como 18°C. Em vez disso, aconselha-se temperaturas medianas entre 22°C e 24°C. Quanto mais alta for a temperatura, melhor. Menos esforço e mais tempo com o compressor do ar-condicionado desligado ajudam na economia.

 

  • Garantir que ambiente está bem fechado

Uma das maneiras de evitar que o ar-condicionado trabalhe mais do que necessário é garantir que todas as portas e janelas estejam fechadas. A entrada de ar quente e a saída do ar frio faz com que o trabalho não seja feito de maneira eficiente. Um ambiente fechado facilita que a temperatura se mantenha estável. Isso economiza tempo de funcionamento do aparelho e consequentemente, energia.

Além disso, a utilização de cortinas e persianas são recomendadas já que ajudam a bloquear a luz e calor do sol. Quanto mais luz, mais energia será necessária para fazer a climatização e manter a temperatura. Ou seja, quanto menor for a troca de calor, melhor.

 

  • Fazer a manutenção frequente do aparelho

Assim como todo equipamento, sempre devemos nos atentar com o bom funcionamento do ar-condicionado. A manutenção deve ser feita frequentemente. Não somente para evitar falhas, mas também para que dure mais e não gaste energia ainda mais.

A manutenção preventiva é muito importante. A checagem do aparelho deve ser feita garantindo a não obstrução das saídas de ar, o que poderia gerar sua sobrecarga. Os filtros devem ser limpos, não somente para uma eficiente troca de ar, mas também para evitar possíveis crises alérgicas.

Com o ar-condicionado funcionando perfeitamente, sua eficiência é maior. Sendo assim, menor será o gasto de energia e o custo na conta de luz será mais baixo.

  • Evitar o “liga-desliga”

Vamos imaginar a seguinte situação: Você fecha portas e janelas e liga o ar-condicionado. Então, ele começa a refrescar o ambiente, mas você precisa dar uma saída rápida para pegar uma água ou ir ao banheiro.

Pode até parecer bem intuitivo desligar o ar-condicionado, assim como desligamos as luzes quando deixamos um cômodo. Entretanto, se a ausência for curta, ao invés de economizar energia com ar-condicionado, você exigirá bem mais do aparelho. Isso acontece porque nesse tempo que você ficar fora, o ambiente vai esquentar, e quando você voltar, ele vai consumir mais energia para resfriar de novo.

Assim, se for deixar o ambiente por um curto período de tempo, nunca desligue o aparelho. A energia necessária para resfriar novamente o cômodo será muito maior do que se deixar o aparelho funcionando. Por outro lado, se precisar se ausentar por um período maior, aí sim não se esqueça de desligá-lo.

Mas o que fazer se você gostar de dormir com o ar-condicionado ligado? É aí que entra a função de timer dos aparelhos, muito útil para programar o desligamento automático em algumas situações.

Na função sleep do aparelho, a temperatura aumenta em 1ºC por hora nas duas primeiras horas. Isso evita que você acorde no meio da noite com calor ou frio, provavelmente aumentando ou diminuindo a temperatura e pouco depois precisando regulá-la novamente – isso se não chegar a desligá-lo.

  • Mas e então?

Com a temporada de férias chegando e com ela o aumento das temperaturas, ter um ar-condicionado é sempre sinônimo de conforto. O aliado número um para manter o ambiente agradável dentro de nossas casas e no trabalho. Porém, quando a necessidade de ligar o aparelho aparece e o consumo aumenta, o susto vem na conta de luz no final do mês.

A conta de luz cada vez tem um peso maior no bolso do brasileiro e as tarifas de energia não param de subir. Isso só dificulta ainda mais o sonho de uma noite de verão bem dormida. Nos últimos anos, a preocupação com o meio ambiente vem crescendo e devido ao aumento no consumo de energia elétrica no Brasil e no mundo, sua utilização de maneira sustentável está em alta.

É fato que ninguém quer abrir mão do conforto para economizar. Mas seria realmente necessário isso? Não! Com as atitudes que acabamos de ver, é possível fazer uma boa economia sem precisar desligar o aparelho.

Ter um ar-condicionado é sinônimo de conforto. É a praticidade e comodidade em cada ambiente, seja na sua casa ou empresa. O seu bem-estar que está em jogo. Por isso, na hora de escolher o modelo ideal busque pelo ar-condicionado mais econômico.

Fique de olho nas funções do seu ar-condicionado, sua tecnologia e capacidade de refrigeração. Como mencionamos, estes são alguns dos fatores que devem ser levados em consideração quando você for escolher o melhor produto.

Mas não se esqueça também do Selo Procel. Esta é uma das melhores formas de se orientar na hora da compra em relação ao consumo de energia do seu aparelho. Então, ao adquirir um novo equipamento, procure sempre pelo Selo! Além de contribuir para o consumo sustentável de energia, você também vai economizar na conta de luz.

Como o consumo do ar-condicionado está ligado com a temperatura do termostato, fique atento quanto à temperatura acionada no controle remoto durante os dias quentes de verão. Um simples manuseio pode prejudicar o funcionamento do aparelho, criando uma sobrecarga maior de energia, o que pode aumentar consideravelmente sua conta de luz.

Mas para economizar não é só olhar para a temperatura do aparelho. A importância de uma instalação profissional e manutenção técnica periódica são fatores muitas vezes esquecidos. É vital que sejam levados em consideração tais pontos para que você não tenha gastos desnecessários.

Assim, usando seu ar-condicionado da maneira correta, você não só economiza, mas também aumenta sua vida útil. Ou seja, você está garantindo muitos verões de conforto – tanto para você quanto para o seu bolso!

Pouca gente sabe, mas o ar-condicionado não é o maior vilão da conta de luz. Se for bem instalado, bem dimensionado e utilizado de forma adequada, um ar-condicionado pode consumir menos energia do que um chuveiro elétrico! Para isso é importante que todos façam a sua parte desde a escolha do equipamento até sua utilização correta.

Com essas seis dicas já é possível garantir um refresco na conta de luz desse verão!

 

Banner newsletter

Quem somos

Empresa Júnior desde 2011 atuando no mercado profissional com qualidade e capacidade de realizar projetos com alta performance e atender as necessidades de nossos clientes.

Horário de funcionamento

Segunda a sexta
10:00 – 18:00

Telefone

(15) 99615-4524

Acompanhe-nos

Rolar para o topo
Mande uma mensagem!
1
Conte como podemos te ajudar!
Olá!
Fale com a EJEM pelo Whatsapp e faça seu orçamento agora!